Lâminas de Serviço – Canivetes Urbanos – Parte III

Mais uma vez me proponho a escrever sobre as lâminas de serviço urbanas ora em meu poder que utilizo. Nesse terceiro post apresentarei alguma aquisições mais recentes, as quais testei em situação práticas ultimamente necessárias.

Canivete GERBER linha padrão

Canivete GERBER posição aberta

Este canivete foi adquirido para compor o meu “Kit de Primeiros Socorros” e consta de uma lâmina de 2″ polegadas, vazada, com o cabo de alumínio pintado a fogo na cor preta. Tem linhas clássicas. A sensação da empunhadura é das mais agradáveis pois possui

ranhuras de fixação. A abertura clássica com trava de unha na base da empunhadura torna-o excelente para operação com uma só mão, não necessitando tando de auxilio para abrir e fechar, o que pode ser muito útil em caso de urgência/emergência.

A lâmina vazada dá um “plus” a mais na qualidade do equipamento, fazendo com que fique com um tom de “fight and utility” que pode dar um ar de multiuso.

Sendo negra, é ideal para utilização em ambientes de pouca iluminação, quando não queremos dar ao nosso inimigo a nossa posição. Mas qual será mesmo a utilização dada a ele? Continua compondo o meu kit de primeiros socorros, juntamente com um apito, tesousa, gases, esparadrapo e alguns medicamentos de utilização geral em caso de necessidade.

Canivete BOKER “Black Tanto”

Canivete BOKER aberto

Esta peça de utilização foi adquirida para compor o quadro, de “Fights of  night” e deveria ser apenas para estar presente a

deslocamentos urbanos rápidos, onde a necessidade de utilização implicasse na necessidade de corte simples ou serrilha, romper um tubo de PVC ou uma placa de aço não temperado…Bom a lista é extensa. (risos) mas é uma peça excepcional para uso diário. Leve e tem um design agressivo, não é muito grande como a foto o demonstra, mas como todas as outras aqui apresentadas cumprem bem o seu papel.

Canivete BOKER “Solingen Special Survive”

BOKER hard

BOKER hard posterior clip

Adquirido para ser o “Backup side man” ao lado do modelo nacional da Tramontina (vide Lâminas de Serviço – Canivetes Urbanos – Parte II). Trata-se de um exemplar para emprego “pesado” (hard job) e seu emprego diário ver-se pelo próprio desenho da peça. Possui duas características básicas para ser um canivete de “parada”: peso acima da média e lâmina principal de 4mm de espessura (a mesma espessura da minha faca COMMANDER II). Além disso, o formato da empunhadora lembra a parte de cima do ferrolho da pistola Bereta 92F Mini, de dotação das Forças Armadas americanas, com um “insert” para corte de linhas de pesca (observar lado oposto da empunhadura) e um “quebra-vidro” (base anterior da lâmina).

 O clip parte de trás da empunhadura, é ideal para a fixação em cintos de guarnição e em cintos normais. O passa “fiel” (cordão de segurança) tem um formato de percursor da pistola já citada. Um fato interessante é que esse canivete tema lâmina em formato japonês em aço carbono tipo “Tanto”  não facilita a penetração, mas a serrilha faz o trabalho de corte em superfícies difíceis, o que causa uma tremenda sensação de força.

Anúncios

Sobre Fernando "Eagle" de Sousa
Apenas alguém interessado em aprender cada dia mais e mais.

One Response to Lâminas de Serviço – Canivetes Urbanos – Parte III

  1. Pingback: UM PASSEIO EM MORROS – PARTE III – O PASSEIO « Fernando "Eagle" de Sousa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: