QR code

H.T.B.

Bem o QR code é um código em 2D que basicamente pode conter um link, um texto, ou qualquer coisa que seja dígitos. Ele foi criado em 99 no japão e o padrão de lá se tornou o padrão mundial. Admito que só ouvi falar dele em 2008.

Existem muitos apps no marketplace do WP que podem ler esse código, mas o WP já vem com essa função por padrão. Basta apertar o botão de pesquisa físico e quando a tela do Bing aparecer clicar no olho. Ao direcionar a câmera para o código ele rapidamente é reconhecido. Chega a ser muito rápido o processo e sinceramente melhor do que qualquer outro app que eu tenha visto pra isso. Essa é uma dica muito interessante. Na maioria das vezes não será preciso baixar nada no celular ocupando algum espaço que seja pra fazer o que se deseja.

No máximo eu…

Ver o post original 112 mais palavras

Okay, so I noticed the conflict…

circles in the sky

During my research methods class last Wednesday evening, we received news that Hamas’s military leader, Ahmed Jabari, had been assassinated by an Israeli air strike.   As the conflict between Gaza militants and Israel escalated over the next day, my friends and I decided to move ahead with our weekend plans to go to Jerusalem.  We reassured ourselves that we would be safe in the center of the country and reminded ourselves that, as all Israelis and Palestinians know, we couldn’t just stop living because of a remote threat.

After Friday afternoon prayers ended in Jerusalem’s Old City, I joined a huge mass of people moving out of Damascus Gate into East Jerusalem to see what kind of demonstration against Israeli action in Gaza might ensue.

I thought some kind of demonstration was in the works because riot police had been loitering outside the Old City for several hours.  Maybe 20…

Ver o post original 1.386 mais palavras

Bebê nasce com coração batendo fora do corpo e sobrevive à cirurgia

Do UOL, em São Paulo

Crédito: Texas Children’s Heart Center/Divulgação

Um bebê que nasceu com o coração batendo fora do seu corpo sobreviveu à cirurgia, divulgou nesta semana o Hospital Infantil do Texas, em Houston, nos Estados Unidos. Segundo a equipe médica, Audrina Cardenes está na sua quinta semana de vida após vencer as dificuldades de uma operação que colocou o órgão para dentro.

A menina sofre de ectopia cordis, uma doença rara em que o coração se desenvolve para fora do peito, parcialmente ou totalmente, e atinge 1 em cada 8 milhões de bebês no mundo. Segundo o hospital, cerca de 90% desses casos são natimortos ou morrem cerca de três dias depois do nascimento.

A mãe optou em fazer a cirurgia de risco após descobrir o problema no pré-natal, quando ainda estava na 16ª semana de gestação – os médicos ofereceram outras opções, como o aborto e cuidados médicos durante a gravidez. Ela se mudou, temporariamente, de Midland para a capital do Texas para ficar mais próxima de um hospital capaz de fazer essa operação bastante complicada – ela envolve cirurgia cardiovascular, plástica entre outros procedimentos de uma só vez.

Charles Fraser Jr, que comandou a cirurgia de seis horas, diz que o futuro de Audrina é “ainda incerto”, mas que ela tem “progressos a cada dia” e que será acompanhada pela equipe de pediatria do centro cirúrgico.

“Audrina é uma verdadeira batalhadora, e nós estamos esperançosos de que ela continuará com este progresso. Também tenho esperanças de que o caso dela marque o início da nossa capacidade em cuidar de mais crianças diagnosticadas com ectopia cordis no futuro.”

Fonte: http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2012/11/21/bebe-nasce-com-coracao-batendo-fora-do-corpo-e-sobrevive-a-cirurgia.htm

PM é executada na frente da filha na zona norte de SP

CAMILA BRUNELLI, FELIPE TAU E VALÉRIA FRANÇA – Agência Estado

A soldado Marta Umbelina da Silva, de 44 anos, do 18º Batalhão da Polícia Militar, morreu na noite de sábado após ser baleada pelas costas na frente da filha na porta de casa, na Rua Dr. Roberto Zwicker, na Vila Brasilândia, zona norte da capital. A policial não vestia farda no momento do crime.

De acordo com o boletim de ocorrências registrado no 72 º DP (Vila Penteado), a soldado foi atacada por dois homens quando saiu do carro para abrir o portão de sua residência. Os suspeitos fugiram em um veículo que aparentava ser um Honda Civic prata.

Quando a polícia chegou ao local, familiares já haviam levado Marta ao Hospital Geral de Vila Penteado, mas ela morreu a caminho da unidade. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Com o crime, chega a 90 o número de PMs assassinados no Estado neste ano. Antes, também na zona norte, um policial havia sido ferido em uma tentativa de roubo.

Outros casos

Às 13h35 deste sábado, um suspeito foi morto por policiais da Rota na Marginal do Pinheiros, depois de ser perseguido. Segundo a Polícia Militar, ele resistiu à abordagem. A madrugada de sábado foi violenta na capital e no ABC. Dez pessoas morreram baleadas e oito ficaram feridas.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,pm-e-executada-na-frente-da-filha-na-zona-norte-de-sp,955564,0.htm

Setembro chegou!

Setembro chegou, e com ele muitas mudanças, muitas nuances e decisões. Passarei a escrever sobre diversas coisas, sobre como eu vivo a vida e como vivi até aqui.

Praça Gonçalves Dias, São Luis do Maranhão.

image

Essa foto não fui eu quem bateu, encontrei entre os diversos álbuns compartilhados em redes sociais, caso alguém conheça o fotógrafo, mande-me um e-mail ou comente, que darei os devidos créditos.

Polícia Militar de São Paulo presta contas sobre a “Operação Centro Legal”

Recebi nesta data, e-mail.

Caro(a) amigo(a) da Polícia Militar, A Operação Centro Legal não foi somente desocupação e combate à logistica do tráfico de drogas, mas assistência social para levar dignidade às pessoas que necessitam de apoio. Vejam os números dos primeiros 30 dias da ação: Polícia Militar do Estado de São Paulo Compromisso com o cidadão.

http://www.policiamilitar.sp.gov.br/hotsites/centrolegal/newsletter.html

Resposta recebida da PMSP

 Prezado senhor Fernando, 

Agradecemos imensamente o elogio formulado. Ele nos inspira a bem servir, e com muita qualidad e, à comunidade paulista. Assim sendo, esclarecemos que estamos à disposição de V.Sª, para o recebimento de novas mensagens.

Fale Conosco PM 

CMI contesta relatório da FUNAI

O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) vem a público esclarecer os desdobramentos da denúncia feita por indígenas Tenetehara (ou Guajajara) da aldeia Patizal, Terra Indígena Araribóia, no Maranhão, sobre ataque sofrido pelos Awá-Guajá em situação de isolamento, entre setembro e outubro do ano passado na altura do município de Arame, onde os restos mortais carbonizados de uma criança foram encontrados pelos Tenetehara no meio da mata, durante caçada.

Tornaram-se públicas, pelas mãos do Cimi, informações passadas pelos próprios indígenas e são por elas que respondemos, porque não jogamos na vala comum dos boatos depoimentos que remontam anos de denúncias da ação de invasores, sobretudo madeireiros, na Terra Indígena Araribóia. Não obstante, o Cimi mantém plena confiança na denúncia e acredita que algo de muito grave ocorreu no interior da terra indígena, afetando diretamente a segurança e as garantias de vida dos Awá-Guajá isolados.

Apenas investigações mais detalhadas feitas dentro da mata, local de caça dos Tenetehara e palco do episódio denunciado, poderão dizer como o assassinato desta criança indígena ocorreu e como se deu o ataque aos Awá-Guajá isolados. No entanto, o Cimi acredita que não é necessário um corpo carbonizado para que medidas urgentes de proteção aos indígenas da Terra Indígena Araribóia – ou a qualquer outro povo em condição de isolamento ou de contato no país – sejam adotadas.

Conforme os próprios técnicos da Fundação Nacional do Índio (Funai) atestam, a ação de madeireiros ocorre livremente dentro da terra indígena – com o trânsito impune de caminhões apinhados de toras de ipê e demais espécies de árvores. Além da dilapidação do patrimônio nacional, o assédio dos madeireiros coloca em risco a vida e a segurança dos indígenas, impedindo-os de usufruírem do território tradicional.

Faz-se necessária uma ampla ação dos órgãos envolvidos para ultrapassar a fronteira dos monitoramentos das ações de madeireiros e partir rumo à proteção efetiva da terra indígena, impedindo a extração de madeira e a circulação impune de invasores que aliciam e ameaçam os indígenas. Do contrário, se madeireiros circulam sem impedimentos na Terra Indígena Araribóia, como não acreditar nos depoimentos de violência dos Tenetehara?

Chegamos, com isso, a outro ponto importante: se os madeireiros atuam com sossego e no arrepio de fiscalizações mais exaustivas, como fica a segurança dos Tenetehara que fazem denúncias e se opõem aos invasores de suas terras? Numa denúncia como a tratada por esta nota, de ampla repercussão nacional e internacional, as pressões dentro da aldeia são consideráveis. Proteção a esses indígenas também é outra importante prerrogativa para o esclarecimento desse e de tantos outros episódios de violência – noticiados com exaustão pelo Cimi.

Dois casos são salutares de lembrar: em 2007, Tomé Guajajara foi assassinado por madeireiros que invadiram a Terra Indígena Araribóia com o intuito de recuperar um caminhão; já em 2008, um motoqueiro disparou contra uma indígena de 6 anos acertando-a na nuca. O contexto, portanto, é de saque do território, assassinatos e negação de direitos. A impunidade dos crimes só poderia deixar os indígenas preocupados com a própria segurança.

Por fim, esperamos que o foco sobre a questão não se restrinja a mera comprovação se a violência ocorrida no interior da Terra Indígena Araribóia passa de boato de internet ou não, pois no Brasil o assassinato e a violação dos direitos indígenas deixaram a condição de boato desde que o Estado Nacional passou a reconhecer direitos para as populações originárias. O Cimi acredita que novos fatos poderão surgir, mas, sobretudo, espera medidas concretas de proteção ao território indígena e aos indígenas autores das denúncias.

Brasília, 10 de janeiro de 2012  

Fonte: cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&conteudo_id=6041&action=read
 

SOBRE O CASO DO MENINO INDÍGENA EM ARAME

por Lissandra Leite *, sexta, 6 de Janeiro de 2012 às 13:22

Está causando revolta nas redes sociais a denúncia do assassinato de uma criança indígena, da etnia Awa-Gwajá, que teria sido queimada por madeireiros na região da terra indígena de Araribóia, no município de Arame-MA. A denúncia foi feita por índios guajajaras à jornalista Alice Pires, da OAB, e a Gilderlan Rodrigues da Silva, do Conselho Indigenista Missionário – CIMI.

Segundo Gilderlan, os guajajaras das aldeias Jititiua e Patisal, durante suas atividades de caça, já vinham travando algum contato com o grupo Awá que se encontrava acampado a cerca de 20 km da aldeia Patisal. Desde o final de setembro, entretanto, com a entrada de madeireiros na área do acampamento, surgiram relatos de conflitos e os Awá se retiraram da área. A morte do indígena teria acontecido neste período. O CIMI está buscando mais informações sobre o caso, inclusive um novo contato com o índio Clóvis Guajajara, liderança da aldeia Patisal, que teria visto o corpo e repassado a informação à organização, para fazer uma denúncia formal.

Por telefone, o chefe de posto da Funai em Amarante, Luís Carlos Guajajaras, também confirmou que vários indígenas da região estão relatando este caso, mas que ainda não pôde fazer uma visita ao local do acampamento, onde estaria o corpo carbonizado. “Como é uma região de conflitos, é bastante perigoso andar por lá”, explica. Segundo ele, os indígenas da região dizem que há restos humanos em uma coivara – fogueira feita com a madeira que será dispensada em uma ação de desmatamento –, mas não soube precisar se seriam de uma criança. Acredita-se que a morte tenha sido causada por madeireiros exatamente pela situação de conflito e pelo fato da possível vítima estar queimada em um resto de desmatamento. Mas não há confirmação das condições em que teria acontecido a morte.

Não foi possível fazer contato com nenhum indígena da região que tenha visto o corpo. Há relatos de que os guajajaras que foram até o local do acampamento chegaram a fazer um vídeo do corpo, com um celular, mas o CIMI ainda está buscando essa gravação.

Ninguém obteve relatos diretos dos Awás que pudessem esclarecer o que de fato aconteceu antes do grupo deixar o acampamento. “Pelas informações que recebemos, eles devem estar próximos à Lagoa Comprida, em Amarante, área mais protegida da ação dos madeireiros”, informa Gilderlan. O CIMI nacional deve emitir uma nota pedindo a apuração das denúncias. “O histórico de violência contra indígenas na região é grande e já foram feitas denúncias de situações diversas ao Ministério Público de Imperatriz e à Frente de Proteção Etnoambiental da Funai”, conclui Gilderlan.

No momento, ainda não há investigações conduzidas pela Polícia, pois não há uma denúncia formal. É importante ressaltar que a Funai já tem conhecimento das denúncias desde novembro, mas não realizou nenhuma visita à área para confirmar a existência do corpo.

————————————

Em tempo: A FUNAI divugou relatório de visita à área do suposto crime, veja neste link 

Fonte: Perfil da Lissandra Leite no Face Book (https://www.facebook.com/note.php?note_id=307964572575125)
*Jornalista, especialista em políticas públicas, parte da Agência Matraca, consultora da Unesco e do Ministério da Justiça no Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania – Pronasci, militante pelos direitos humanos e empresária.

PROJETO CINE MUIRAQUITÃ – IMPERATRIZ – MA

Cine Muiraquitã começa nesta quarta com festival de Tarantino 

Imperatriz – O Cineclube Mauiraquitã, projeto de extensão do curso de Comunicação Social da UFMA, faz um especial durante as férias com exibição gratuita de filmes para a comunidade, de segunda a sexta, durantes os meses de janeiro e fevereiro, na sala do estúdio de TV da UFMA, sempre às 16h. Quentin Tarantino é o diretor da primeira semana de festival de férias do Cineclube. Amanhã (04) será exibido o filme “Pulp Fiction”, o primeiro filme do autor. A entrada é franca. Segundo professor Marcos Fábio, coordenador do projeto, a ideia é movimentar a universidade nesse período de férias e promover um momento de distração para as pessoas que não viajaram, tanto alunos da UFMA, quanto da comunidade. Cada semana será contemplado um tema ou um diretor diferente. Estão na lista para a exibição filmes de Woody Allen, de Pedro Almodóvar e Clint Eastwood, e ainda outros clássicos, documentários e filmes de cangaço.
Confira a lista dos filmes a serem exibidos nos próximos dias no Festival Quentin Tarantino:
Quarta-feira, (04 de janeiro): “Pulp Fiction”;
Quinta-feira, (05 de janeiro): “Cães de Aluguel”;
Sexta-feira, (06 de janeiro): “Jackie Brown”;
Segunda-feira, (09 de janeiro): “Kill Bill 1”;
Terça-feira, (10 de janeiro): “Kill Bill 2”;
Quarta-feira, (11 de janeiro): “Sin City”;
Quinta-feira, (12 de janeiro): “Bastardos Inglórios”;
Sexta-feira, (13 de janeiro): “O Albergue 1”.
Texto: Ascom UFMA Imperatriz
%d blogueiros gostam disto: